Pare de MENTIR!

A pior mentira é àquela que você faz a você mesmo(a)

Ter clareza em tudo o que pensa e consequentemente em tudo o que faz é o primeiro grande passo para o sucesso, em qualquer área da vida. Muitas pessoas tem problemas em seus relacionamentos, em sua vida pessoal, sua vida profissional ou até mesmo em sua qualidade de vida pelo simples fato que constantemente mente para si mesmo e, o pior, o faz em seus pensamentos, mesmo que inconscientemente.

É uma grande armadilha, constantemente temos de andar “vigiando” nossos pensamentos, porque simplesmente eles nos fazem perder o foco naquilo que realmente importa e nos faz comportar conforme nossas “vontades imediatas” ou “prazeres imediatos” em detrimento de uma vida autêntica, saudável e consistente com nossos maiores valores.

Essa é a grande razão do porquê a profissão de Coaching tem crescido de forma exponencial; a essência de um processo de coaching é constantemente lhe fazer refletir sobre seus pensamentos em função de seus objetivos (qualquer área da vida), elevando à consciência quantos aos comportamentos e suas consequências a curto ou longo prazo que, aliás, é outro grande detalhe: Muitas pessoas não fazem o que devem fazer simplesmente porque não tem visão de longo prazo e em consequência, cometem erros a curto prazo.

Um grande estudioso do comportamento humano, uma vez disse: “As coisas que quero, não faço; as coisas que não quero, essas eu faço: Maldito homem que sou.” – Essa frase, é bem provável que foi oriunda de um momento de grande reflexão interna, do confronto da natureza humana frente a clareza dos objetivos a longo prazo, demonstrando a incapacidade de alcança-los.

Por isso dizemos: A Pior mentira é àquela que fazemos para nós mesmos.

#PenseNisso #LuizMattos #MundoMelhor

A profissão COACH

SER COACH É O MELHOR CAMINHO PARA MIM?

É comum pessoas terem contato com o universo do Coaching e do desenvolvimento pessoal, gostarem muito da experiência, se apaixonarem pela área e sentirem vontade de seguir atuando como coach. Mas é aí que bate aquela dúvida: Será que esse é mesmo o caminho para mim? Vale a pena investir numa formação?

Villela da Matta, presidente e fundador da Sociedade Brasileira de Coaching ensina que existem quatro características fundamentais para quem quer se tornar um Coach. Segundo ele, é preciso ter pelo menos 3 dessas características, caso contrário, essa carreira não é para você. Então vamos lá!

4 CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS PARA QUEM QUER SE TORNAR COACH:

 

1. Desejo de Contribuir com a humanidade

Uma busca por fazer aquilo que tenha significado, propósito. O trabalho não tem como único objetivo trazer dinheiro no final do mês. Um desejo profundo de impactar positivamente as pessoas e fazer deste mundo um lugar melhor.

2. Liberdade

Não quer estar preso a uma rotina e obrigações. Quer trabalhar onde e quanto tempo quiser. Gosta da variedade, de conhecer pessoas e estar em lugares diferentes.

3. Prosperidade Financeira

Almeja atingir um patamar financeiro onde possa realizar seus sonhos materiais. Quer viver experiências incríveis e ter conforto para si e sua família. Quer ser bem pago pelo seu trabalho.

4. Paixão por conhecimento

Um gosto por leitura, cursos, palestras. Entende que o conhecimento é transformador e libertador. Ama estar perto de pessoas com quem pode aprender coisas novas e úteis para sua vida.

E aí? Se identificou?

Se mesmo assim ainda tem dúvidas, continue lendo…

Além de analisar essas características, é importante considerar que nem todas as pessoas que fazem formação em Coaching irão atuar como um coach no modelo tradicional. Muitas pessoas buscam a formação como uma forma de adquirir ferramentas para aplicar em sua empresa, emprego atual ou até mesmo para seu próprio desenvolvimento pessoal.

Coaching é mais do que uma profissão, é um estilo de vida baseado num “mindset de crescimento” e “autodesenvolvimento”. A formação em Coaching não apenas fornece ferramentas, mas te transforma como pessoa!

Se é isso que você almeja para sua vida, não tenha dúvidas. Entre em contato conosco e viva uma experiência transformadora!

Autor: Marco Aurélio, Coach de vida e carreira.

  • Estudou Neurociência e Psicologia Aplicada na instituição de ensino Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Formação em  Personal & Professional Coaching pela SBCoaching – Sociedade Brasileira de Coaching
  • Formação em  Positive Psychology Coaching pela SBCoaching – Sociedade Brasileira de Coaching

Email: marco.personalcoach@gmail.com

Facebook: /MarcoLifeCoach

Instagram: marco.personalcoach

Seja a pessoa responsável pela sua felicidade.

Já escrevemos diversos blogs sobre a felicidade e todos são complementares, incluindo este. Falamos sobre escolha, sobre esforço, sobre compartilhar e, sobre servir;  Refletir agora sobre a felicidade ser uma questão de escolha, ou decisão! Seria insanidade ou loucura uma pessoa em plena consciência (funcional) dizer que não quer ser feliz! Então porque nem todas pessoas são felizes se, aparentemente, seria algo bem simples? O problema está na “ignorância”  e na associação ao dinheiro ou àquilo que o dinheiro pode comprar.

Um grande detalhe nesse contexto é que muitas pessoas “terceirizam” sua felicidade, ou seja, dizem para si mesmas: “Serei feliz quando “for”… ou quanto “ter” … ou quando “fazer” … alguma coisa. E nesse contexto, há também outra situação, muitas pessoas confundem a felicidade com “prazeres imediatos”.

Há uma grande diferença entre prazer e felicidade. O prazer é apenas um item no complexo contexto da felicidade. Em função da falta de conhecimento, ignorância (no sentido literal da palavra), muitas pessoas associam estes dois ítens (prazer x felicidade) e, essa é a razão da associação da felicidade ao dinheiro. Na verdade muitas pessoas não entendem que o dinheiro apenas consegue comprar “estímulos” que levam ao prazer e este apenas se mantêm enquanto houver o respectivo estimulo e, ainda de forma inversa à quantidade destes estímulos, ou seja: Se você gosta de chocolate e ficar um bom tempo ser come-lo, na primeira mordida o seu cérebro lhe recompensará com 100% de produção de endorfinas (hormônio do prazer), na segunda mordida, não é mais assim, seu cérebro apenas lhe recompensará com 50% e assim sucessivamente. Por  isso é válida a frase: “o dinheiro não traz felicidade”, pois ele apenas compra estímulos, contudo, também é importante entender que o prazer é uma variável importante em um contexto mais amplo, como já mencionamos em outro blog.

Ao sugerir à você ser responsável por sua felicidade, primeiramente entenda que a felicidade é uma ciência e, como tal merece ser estudada, por isso responsabilize-se em entender melhor essa ciência e comprometa-se a alterar seus comportamentos em função de algo que realmente acredita, seja FELIZ!

#PenseNisso #Coach4You

 

 

 

Traremos outras dicas, fique ligado em nosso Blog, compartilhe!!!

Cadastre-se para receber nossa NewsLetter.

 

Bibliografia: Seligman, Martin – Felicidade Autêntica

A quem ou, a que você serve? Outro ingrediente na Felicidade.

Outro detalhe relacionado a seu índice de felicidade está relacionado a quem ou, a que você serve. Pode parecer estranho ou até mesmo algo medieval contudo, comece a pensar em propósito. As suas atividades diárias (pessoal ou profissional)  estão relacionadas a algo maior? Há um sentido de propósito? Qual a razão de sua existência?  

Sim, são questões bem filosóficas, contudo estão intimamente relacionadas ao seu bem estar, sua saúde emocional e consequentemente ao seu índice de felicidade. Mesmo que você enxergue sua família, grupo social ou até mesmo a organização onde trabalha como “algo maior”, qual é o legado que vai deixar? Novamente falamos de propósito e a razão de sua existência.

Refletindo sobre isso, entendemos a razão de pessoas tristes ou deprimidas. Muitas dessas pessoas vivem sem entender o verdadeiro sentido ou o propósito de suas atividades, é como dizia o sábio: “Tudo foi vaidade, é correr atrás do vento”.

Resumindo o que escrevi nos posts anteriores sobre felicidade: 1o Decida ser feliz, é uma questão de decisão; 2o Reconheça e utilize suas forças e talentos; 3o Faz-se necessário esforço para desenvolver e compartilhar seus talentos e 4o Encontre seu verdadeiro sentido na VIDA!!!

 

 

 

Traremos outras dicas, fique ligado em nosso Blog, compartilhe!!!

Cadastre-se para receber nossa NewsLetter.

 

 

Bibliografia: Seligman, Martin – Felicidade Autêntica

A um passo da felicidade.

Nos blogs anteriores sobre felicidade falamos sobre ser uma questão de escolha, você escolhe ser feliz e uma questão de esforço, você precisa se esforçar para ser feliz, agora quero refletir sobre outro aspecto da felicidade, compartilhar.

O interessante sobre este outro aspecto da felicidade é que não está ligado ao “ego”, não é nada que você faça à você mesmo(a) e sim para o outro; você precisa compartilhar seus dons, talentos ou principais características. Repare nas situações de sua vida onde você compartilhou algo, de forma sincera e coração aberto, sem obrigação, tipo trabalhos voluntários; como se sentiu naquela ocasião?

Apenas pense se estes dois últimos itens que mencionei (esforço e compartilhar) não são aspectos voluntários? Por isso que afirmamos que a felicidade é uma questão de escolha. Pessoas que não são tão felizes, muitas vezes não querem se esforçar, em se desenvolver e muitas vezes vivem em um contexto egocêntrico, onde os prazeres “imediatos” dão preferência aos comportamentos mais efetivos para uma felicidade a longo prazo. #PenseNisso!

 

 

 

Traremos outras dicas, fique ligado em nosso Blog, compartilhe!!!

Cadastre-se para receber nossa NewsLetter.

 

Bibliografia: Seligman, Martin – Felicidade Autêntica

Felicidade, uma questão de esforço.

Anteriormente dissemos que felicidade é uma questão de escolha, agora vamos para outro ingrediente para sua felicidade, ESFORÇO. No post anterior mencionei sobre a necessidade de utilizar seus dons e talentos contudo é necessário também se esforçar, não basta apenas ter um talento, você precisa exercitá-lo, investir tempo e energia (física e mental) para desenvolvê-lo .

O esforço é outro item fundamental, você precisa sair da “zona de conforto” que apenas pode lhe dar um “prazer imediato” e buscar manter-se sempre ativo, sempre produzindo, utilizando nesses momentos suas forças de caracter e talentos.  O auto-conhecimento é um excelente caminho para poder utilizar suas forças de caracter, faça o assessment (clique AQUI) e conheça suas “forças de assinatura, a utilização dessas forças em suas atividades, vai lhe proporcionar maior engajamento. Portanto, entenda que faz-se necessário esforçar-se para ser feliz e esse esforço não precisa ser “dor” mas sim “prazer”, engajando-se em tudo o que faz através da utilização de suas principais forças de caracter.

Fundamentalmente o que todo ser humano quer é ser feliz, mesmo que inconsciente, toda busca baseia-se nessa premissa, mesmo pessoas em atitudes “insanas”, essas atitudes buscam a felicidade. Fiquem atentos aos nossos posts, ainda temos muito a falar sobre felicidade!

Gostou? Compartilhe, inscreva-se em nossa NewLetter!!! 

 

 

 

Bibliografia: Seligman, Martin – Felicidade Autêntica

Felicidade, uma questão de escolha.

Muitas pessoas por ignorância (no sentido literal da palavra) vivem toda uma vida apenas para “sobreviver” e cultivam diversos momentos felizes, mas não uma felicidade autêntica. Não importa quais são suas crenças sobre sua existência (criação ou evolução), entenda que você foi dotado de mecanismos para ser uma pessoa feliz, de forma autentica, independente das circunstâncias da vida, de sua classe social ou de nível cultural.

Há diversos passos a serem dados para uma felicidade autêntica. Contudo, o primeiro é “decidir” ser feliz. Sim, felicidade é uma questão de decisão pois ela não está nas coisas que possui e muito menos em sua classe social ou nível intelectual. A partir do momento que decidir ser feliz, passe a conhecer seus valores pessoais, pois dificilmente conseguirá autenticidade em seu nível de felicidade, corrompendo valores.

No momento que decidiu ser feliz, passe a conhecer seus valores com o propósito de não os corromper, a próxima ação é reconhecer seus maiores talentos. Como disse acima, você foi dotado de um mecanismo que proporciona a você a possibilidade de ter uma felicidade autêntica, esse mecanismo chama-se TALENTO.

Esse é apenas o primeiro post sobre felicidade. Fique ligado em nosso blog, ainda temos muito que discutir sobre felicidade, inscreva-se, deixe seu e-Mail para receber nossa newsletter, grande abraço.

 

 

 

Bibliografia: Seligman, Martin – Felicidade Autêntica